quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Agenda - Encontro com Latuff e Nilson

No próximo sábado, 02/03, haverá um encontro com os cartunistas Carlos Latuff e Nilson no Instituto Helena Greco de Direitos Humanos, em BH. Abaixo o cartaz do evento.


terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

A mídia que mente

 
Por Jeferson Malaguti Soares *

Para ser jornalista hoje no Brasil, trabalhando na grande mídia golpista, é necessária uma enorme falta de espírito crítico, além de absoluta subserviência e servilismo aos patrões.

Nossos jornalistas usam de eufemismos quando citam qualquer mau feito de tucanos e agregados.  É publico que não lhes compete suavizar a informação com palavras que pareçam mais agradáveis. A função do jornalista não é poupar o leitor e sim informá-lo corretamente. Suavizam quando o assunto diz respeito à oposição e exageram nos adjetivos que impliquem em juízo de valor quando o alvo é o PT. Mesmo quando de editoriais, deveriam saber nossos jornalistas que opiniões sustentadas em fatos são muito mais fortes do que as apenas adjetivadas. Como não têm fatos, adjetivam.

A austeridade fracassou

Com a palavra um Nobel em Economia

Por Paul Krugman

Há dois meses, quando Mario Monti deixou o cargo de premiê da Itália, a revista britânica The Economist afirmou: "As próximas eleições serão, acima de tudo, um teste de maturidade e realismo dos eleitores italianos". Uma atitude amadurecida e realista seria, ao que se supõe, recolocar Monti em seu cargo. A situação, porém, não é boa.

O partido de Monti deve ser o quarto mais votado - atrás de Silvio Berlusconi e do comediante Beppe Grillo. Na realidade, Monti foi o procônsul instalado pela Alemanha para implementar a austeridade fiscal numa economia já fragilizada. Nos círculos políticos europeus, a disposição para persistir numa austeridade sem limite é o que define a respeitabilidade. Isto seria correto se a austeridade funcionasse, mas não funciona.

Longe de parecerem maduros ou realistas, os defensores dela se mostram cada vez mais petulantes e equivocados. Quando a Europa começou sua obsessão pela austeridade, as principais autoridades minimizaram os temores de que o corte violento dos gastos e a elevação dos impostos em economias deprimidas pudessem aprofundar a depressão. E insistiram que, na realidade, essas medidas impulsionariam a atividade econômica inspirando a confiança do público.

domingo, 24 de fevereiro de 2013

O discurso anacrônico de Aécio

Por Cléber Sérgio de Seixas

Aécio Neves, e por extensão o PSDB e partidos que fazem oposição ao governo Dilma, em especial PPS e DEM, insistem em não reconhecer os avanços do país nos últimos dez anos sob a batuta do PT. Num discurso anacrônico que não encontra respaldo nem no coração nem na mente da maioria do povo brasileiro, os partidos de oposição ao governo Dilma, sem um projeto claro de nação, prosseguem aferrados a preconceitos que só ecoam graças à potência da caixa de ressonância da mídia hegemônica, que há décadas serve de porta-voz às classes mais abastadas e seus representantes na política.

Na última quarta-feira, o senador Aécio Neves (PSDB/MG) criticou o que para ele são os “fracassos das gestões petistas”. Em seu discurso de quase meia hora, ele apontou o que seriam os 13 maiores fracassos dos governos Lula e Dilma. O que fez, na verdade, foi repisar as mesmas cantilenas que há quase dez anos são reverberadas contra o governo do PT e aliados. 

Alguns minutos depois da fala do senador mineiro, o também senador Lindbergh Farias (PT/RJ) rebateu as críticas de Aécio numa brilhante fala de cerca de 4 minutos.

A atitude de Aécio Neves aponta que a disputa presidencial de 2014 já começou. Assim sendo, cabe ao governo e aliados ficarem atentos aos próximos lances da oposição no complexo tabuleiro de xadrez da política brasileira.

Reproduzo abaixo um vídeo da fala do senador Lindbergh proferida alguns minutos depois do discurso de Aécio no Senado.


quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Os interesses da mídia sobre Yoani



Por  Patrícia Benvenuti

Clique de fotógrafos, empurra-empurra de jornalistas e uma extensa listade atividades. A agenda parece a de um pop star, mas foi a rotina da blogueira cubana Yoani Sánchez desde sua chegada ao Brasil, na última segunda-feira (18).

Autora do blog Geração Y, Yoani ficou mundialmente conhecida por suas críticas ao governo de Cuba. Tratada como heroína por sua postura “combativa”, Yoani veio ao Brasil participar de uma exibição do documentário Conexão Cuba – Honduras, de Dado Galvão, no qual é uma das entrevistadas.

A vinda da blogueira de 37 anos foi possibilitada pela reforma migratória promovida por Raúl Castro em janeiro deste ano, que flexibilizou o controle dos deslocamentos de cubanos ao exterior.

domingo, 10 de fevereiro de 2013

Como se matam os poetas




A justiça chilena determinou a exumação dos restos mortais do cidadão chileno Neftaly Ricardo Reyes, o poeta Pablo Neruda. Suspeita-se que Neruda tenha sido envenenado pelos esbirros de Pinochet, dias depois da morte de Allende, no golpe de 11 de setembro de 1973 – há quase 40 anos. Neruda, que se preparava para asilar-se no México - em uma concessão dos golpistas, sob pressão internacional - foi internado em uma clínica, com uma crise prostática. Ali, segundo denúncia de seu motorista, recebeu a falsa medicação que o matou.

 Os poetas – e poucos que redigem poemas conseguem ser realmente poetas – pertencem a outra espécie de seres humanos. Encontram-se na vanguarda das emoções e dos sentimentos. Isso leva a maioria deles a desfazer-se dos escolhos das circunstâncias e exilar-se em geografia e tempo alheios, mas sem perder a bússola da realidade, sem perder sua paisagem e sem perder o seu povo.